Inicio Quem escreve Confira as fanfics Li e recomendo Dicas, tutoriais e muito mais Fale comigo Image Map

A Usurpadora Cap 15 - Desconhecido ( Parte 01)

No capitulo anterior...
– Obrigada querida. – Senti o leve aperto de suas mãos na minha. Assenti sorridente, mas não durou tanto quanto eu queria, logo a pergunta que saiu de seus lábios me deixou perplexa.
– Agora, por que você não me conta quem é você? – Perguntou tranquilamente. – Por que eu sei que você não é a Anabella.
Capitulo 15 – Desconhecido (Parte 01)
Bella PDV
Senti que meu coração acelerava de maneira absurda. Eu não conseguia desviar meus olhos de Esme, estava completamente em choque. Ela me descobrirá? Como? Será que as mudanças que eu havia feito na vida deles era tão forte a chegar ao ponto de que eles não acreditassem que Anabella havia apenas mudado? O que eu faria? E Brian? Não, eu tinha que pegar o tratamento dele!
– Respire querida. – Senti mais uma vez seu aperto carinhoso em minhas mãos. Mas eu não conseguia seguir seu conselho. Perguntas e mais perguntas circundavam minha mente, e em consequência, eu não conseguia pensar no que responder a ela.




Já sentia que meus pulmões imploravam por ar, mas eu simplesmente não conseguia puxa-lo para dentro de meu corpo, estava totalmente paralisada.
– Hei, não precisar ficar assim. Eu não vou fazer nada contra você. – Esme estava tentando me tranquilizar?! Como isso era possível? Como se ela havia descoberto que eu era uma intrusa em sua casa?
Com dificuldade, consegui puxar o ar, repirando profundamente, tentando fazer com que meus pensamentos voltassem a ordem inicial, e que eu conseguisse pensar em alguma coisa para dizer a ela.
– Es-es-esme, eu não sei... O que...
– Querida, não precisa se explicar. Eu fiz essa pergunta por que queria conhecer mais dessa mulher que esta trazendo tantas mudanças em minha casa. Se acalme. Eu estou do seu lado. Não precisa mais mentir pra mim.
Não consegui segurar as lagrimas que já desciam livremente por meu rosto, eu podia sentir minhas mãos tremulas. Como pude ser descoberta assim tão cedo?! Isso não deveria ter acontecido, como eu faria de agora em diante?!
– Não precisa me contar nada se não quiser. – Ela sorriu. – Só quero que continue o que estava fazendo.
– Esme... Como? Por que? – Eu não conseguia formular as perguntas, o medo por ser descoberta estava me sufocando, mas a atitude de Esme estava me confundindo ainda mais. Continuei calada observando ela se levantar, passando as mãos calmamente pela saia de linho que usava. Se aproximou, passando sua mão pelo meu rosto, parando delicadamente por minha testa, que deveria estar trincada pela surpresa.
– Tudo bem. Tudo bem. Você me contará quando estiver preparada. – Sorriu mais uma vez antes de se distanciar e subir os poucos degraus da entrada da mansão.
Fiquei ainda alguns minutos tentando entender o que se passou naqueles instantes. Tudo bem, Bella. Respira e raciocina. Esme sabe que você não é Anabella. Mas ela disse que esta do seu lado, e que não vai dizer nada. Isso quer dizer que ela concorda com o que você esta fazendo, mesmo sem saber o por que você esta fazendo. Isso não poderia ser tão ruim, poderia?
Não, definitivamente não poderia ser ruim. Pelo contrario, era confortador saber que eu tinha aliados na família, principalmente Esme, que era a dona da casa. Era bom saber que ela me apoiava, era bom saber que teria alguém do meu lado se um dia eles descobrissem toda a verdade.
Depois de organizar meus pensamentos e já conseguir respirar com certa normalidade, me levantei. Senti parte do peso ilusório em minhas costas desparecer. Eu me sentia leve. Por hoje, era bom constatar que eu não estava sozinha nesta batalha. Sorri de leve e voltei para dentro da casa, fui ate a sala onde a família tomava o café da manhã.
Esme estava lá, e sorriu cúmplice para mim, que só pode retribuir sorrindo de volta. Mike e Jessica também já estavam, ele me encarava como sempre, já ela, limitava a encarar seu prato. Edward ainda não estava na mesa, por isso, sentei entre Renesmee – que estava em sua cadeira alta – e Antony.
– Bom dia, meus amores. – Falei dando um beijo estalando em cada um.
– Bom dia, mamãe. – Responderam sorrindo.
– Dormiram bem? - Passei a mão pelo cabelo de Antony, que estavam desarrumados iguais aos do pai.
– Sim, mamãe. Sonhei com você. – Ele respondeu. Sorri ainda mais.
– E o que foi que você sonhou, meu príncipe?
– Sonhei que você ia nos dar um irmãozinho! - Ele falou um pouco mais alto chamando atenção de todos na mesa. Arregalei um pouco meus olhos. Ri, ficando sem graça.
– Isso seria bem legal, mamãe. – Renesmee completou. – Eu adolalia ter mais um irmão.
Meu rosto deveria estar vermelho. Mais essa coloração só intensificou com a chegada de Edward, que veio em minha direção, sorrindo.
Ele provavelmente teria escutado a conversa. Assim que chegou ao meu lado levantou meu rosto, dando-me um beijo rápido nos lábios. Meu coração voltou a bater em disparado, enquanto ele virava para cumprimentar os filhos.
– Podem ter certeza que o papai vai trabalhar muito para que esse sonho se realize crianças. – Ele falou já sentando em sua cadeira e me lançando um olhar malicioso. Era só que faltava para mim...
Consegui respirar mais aliviada quando todos começaram a se servir. Carlisle engatou em um assunto da empresa com Edward, enquanto Esme conversava com Antony. Vire-me ajudando Renesmee a tomar seu café, tomando calmamente o meu, trocando algumas palavras com Alice.
– O que vai fazer hoje, meu amor? – Edward perguntou, se direcionando a mim.
– Vou levar Antony para escola nova, depois terei que cumprir minha promessa e sair com Alice. – Respondi sorrindo.
– Como sempre gastando o dinheiro da empresa... – Mike soltou. Edward o olhou com cara de poucos amigos. Mantive-m calada, em parte ele tinha razão. A empresa estava passando por uma crise. Teria que controlar Alice nas compras, porque eu certamente não compraria nada para mim, o dinheiro não era meu para usa-lo.
– Cala-se Mike, e não seja hipócrita. Não pode falar nada de minha mulher, porque tanto você quanto sua esposa desfrutam de maneira superficial este mesmo dinheiro da empresa.
Depois dessa Mike não falou mais nada. E tentamos prosseguir com o café da manhã normalmente. Assim que todos acabaram, a família se dispersou para seus afazeres. Esme iria receber seu medico no jardim, Edward me pegou desprevenida enquanto ia em direção a sala me dando um beijo avassalador, fiquei sem ar e totalmente vermelha, ele apenas riu enquanto seguia para o escritório com Carlisle.
– Vamos Bella? – Alice perguntou já perto da porta. Assenti pegando a mochila de Antony e me despedindo de Renesmee, meu menino pegou em minha mão enquanto seguíamos calmamente em direção ao carro, pelo visto Alice iria dirigir.
Estávamos quase na escola de Antony quando o mesmo fez uma pergunta que me deixou no mínimo nervosa.
– Mamãe, quando o tio Emmett vai voltar? Estou com saudades de brincar com ele... – Meu senhor, eu quase havia me esquecido de Emmett, o irmão de Anabella. Com certeza as coisas iriam se complicar quando ele voltasse da viagem com sua mulher. Afinal de contas era o irmão da mulher que eu estava fingindo ser, deveriam ter crescidos juntos, se casaram com pessoas da mesma família, além de ter o mesmo sangue. Eu estava perdida, ele com certeza iria perceber a diferença entre sua irmã e eu.
Eu já estava completamente ciente que ele iria descobrir minha farsa, ele deveria conhecer Anabella o bastante para não acreditar na historia de “mudança” ou “vida nova” que inventei quando entrei nesta família.
Eu estava perdida.
Nem consegui responder a pergunta de meu filho, e estava perdida em devaneios quando Alice o respondeu. Fiquei em silencio o resto do caminho, dei um beijo e um abraço apertado em Antony, a partir de agora cada momento com aquela família poderia ser o ultimo.
– Não fique com medo. Aqui ninguém vai maltratar você, okay? – Segurei seu rostinho em minhas mãos.
– Tudo bem, mamãe. Eu não tenho mais medo. – Sorriu. – Sei que você n]ao vai deixar eles me machucarem.
– Isso mesmo. – O Abracei mais uma vez. – Qualquer coisa você fala que a mamãe resolve, tudo bem?
Assentiu, entrando na escola logo em seguida.
Segui com Alice para shopping, ela percebendo que eu estava preocupada tentou me distrair. Era engraçado, parecia que ela sabia o que eu estava pensando ou mesmo sentindo. Chegamos ao shopping e Alice logo me puxou para dentro de suas lojas preferidas. Eu sempre tentando conte-la para não extrapolar nas compras. Eu não cedi, mas ela insistia em querer comprar alguma coisa para mim, por isso apenas colocava as roupas em frente ao meu corpo vendo o tamanho, para depois jogar na sacola de suas compras.
– Ai Bella, o Edward vai enlouquecer quando te ver com isso. – Falou, mostrando-me uma langerie azul marinho. Arregalei os olhos sentido ate a raiz do meu cabelo ficar vermelha. Ela riu, nem ao menos perguntando minha opinião sobre a compra. Achei melhor não falar nada, antes que me complicasse ainda mais.
Já haviam passado algumas horas, estava na hora doa almoço e Alice pareceu finalmente se cansar. Iríamos almoçar alguma coisa na praça de alimentação por ali mesmo. Estava segurando as sacolas de Alice, enquanto a mesma não voltava do banheiro, quando senti braços agarrando minha cintura.
– Que saudade, Anabella. – Foi a única coisa que ouvi antes de sentir que alguém me beijava. Pega em choque não consegui reagir de imediato, mas assim que minha consciência avisou o que estava acontecendo, reuni todas as minhas forças empurrando o desconhecido que havia me agarrado.
– Quem é você? – Perguntei perplexa, me afastando o maximo possível do homem. Ele era alto, tinha cabelos negros e olhos azuis translúcidos, pareciam me avaliar minuciosamente. Mas quem era ele? Anabella não havia me descrito ninguém como ele.
– Não se lembra de mim, amorzinho? Dá ultima vez você bem que lembrava do meu nome enquanto gemia em meu ouvido. – Sorriu malicioso. E eu só conseguia o encarar perplexa. Uma amante?! Droga! Não acredito que ela aquela mulher asquerosa traia Edward com homem que acabará de me agarrar.
Vendo que eu não o responderia, ele continuou a se aproximar de mim.
– Onde esta aquele seu maridinho? Já se livrou dele como pretendia? - Abri minha boca, sem saber o que responder.
– Quem é ele, Bella? - Pulei ao ouvir a voz de Alice ao meu lado. Eu deveria estar branca. Olhei vagarosamente para Alice, encontrando seu cenho franzido, não desviando o olhar do suposto amante de Anabella.
Era agora, eu sabia que um momento como esse chegaria cedo ou tarde.


Continua...


5 comentários:

  1. lol menina, esse cap foi, fodastico (desculpe a palavra), li aqui e no nyha. HA depois eu passo lá e comento os outros caps, vou ser uma leitora consiente e comentar uma das historia que eu comecei a babar por ela. Esperando ansiosa o proximo cap.

    ResponderExcluir
  2. eai, quando vc vai postar um novo cap, estou louca para ler mais.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o capitulo, mal posso esperar pelo proximo!

    ResponderExcluir
  4. euu adoro essa novela e a fic deessa novela entaum??mtooooooooooo nommm fikou perfect ...kkkk
    posta maisss

    ResponderExcluir